Samstag, 5. August 2017

ABAIXO AS PRISÕES E PERSEGUIÇÕES POLÍTICAS APÓS O G20

segunda-feira, 31 de julho de 2017

NOTA - ABAIXO AS PRISÕES E PERSEGUIÇÕES POLÍTICAS APÓS O G20


LIBERDADE PARA OS PRESOS POLÍTICOS DE HAMBURGO!

Repudiamos veementemente a prisão de quase uma centena de ativistas internacionalistas nas jornadas de luta durante o congresso imperialista, o G20, na Alemanha. Cerca de 71 militantes foram presos e 15 foram levados sob custódia. Advogados denunciam a dificuldade de falar com seus clientes, a escassa alimentação e a insalubridade das celas, com um número de detentos superior ao permitido.
Não poderia ser de outra forma, o velho Estado imperialista alemão, chefiado pela arquirreacionária Ângela Merkel, tendo a missão de garantir que não houvesse nada que atrapalhasse as negociações, entre o pequeno número de países imperialistas, para espoliar ainda mais as colônias e semicolônias, tratou aos manifestantes uma brutal repressão e violência.
Canhões de água, veículos blindados e a intensa brutalidade das supostas “armas menos letais” foram usados contra manifestantes, centenas de pessoas ficaram gravemente feridas. São inúmeras as denúncias de invasões da polícia aos acampamentos organizados para acolher manifestantes estrangeiros. E um ataque covarde foi realizado no dia 08 de julho contra o Centro Internacional B5 (Internationale Zentrum B5), apartamentos privados de vizinhos ao Centro também foram atacados, além disso, a repressão ameaça fechar o antigo teatro Flora Vermelha (Rote Flora), outro centro político e cultural que também participou da organização dos protestos contra o G20.
No entanto, como vimos nos jornais, o uso de 20 mil agentes da repressão não intimidou os ativistas que, segundo relatos, se deslocaram de diversos países da Europa. Os protestos foram altivos e combativos, barricadas foram levantadas nas ruas de Hamburgo e comitês foram impedidos de chegar às reuniões da Cúpula do G20, nem mesmo Melania Trump, a esposa de Donald Trump, conseguiu deixar a residência oficial e chegar ao encontro.
Toda essa movimentação do aparelho repressivo do imperialismo europeu, com o governo alemão à cabeça, é reflexo não de uma demonstração de força, mas sim do desespero e temor que os governos possuem de que os ativistas e organizações democráticas e revolucionárias consigam influenciar cada vez mais as massas operárias e oprimidas desses países.
O Centro Brasileiro de Solidariedade aos Povos (CEBRASPO) saúda todas as lutadoras e lutadores que estiveram em Hamburgo na semana do G20, pois deram uma verdadeira prova de internacionalismo e solidariedade anti-imperialista. Sob consignas contra a guerra de agressão imperialista, morte ao capitalismo, pela liberdade dos presos políticos democratas e revolucionários, e em defesa das lutas de libertação nacional, transformaram o congresso dos países imperialistas e seus lacaios de turno em oposto dos seus propósitos: em um bastião da luta anti-imperialista e exemplo de altivez, coragem, e luta consequente para os ativistas de todo o mundo. Os acontecimentos de Hamburgo significam um marco na luta anti-imperialista.

Não podemos aceitar que os países imperialistas arrasem os povos com suas guerras de rapina, fazendo dos países agredidos seu butim. Assim como não podemos cair no jogo imperialista que procura colocar povos oprimidos contra povos oprimidos, ocidente contra oriente, europeus contra árabes, mulçumanos contra as demais religiões. A união dos povos contra o agressor imperialista, o verdadeiro terrorista da humanidade, é o único caminho consequente. Os presos políticos de Hamburgo são frutos dessa luta, e cabe a todos os democratas e verdadeiros internacionalistas defenderem sua libertação.
LIBERDADE AOS PRESOS POLÍTICOS DA ATIK! ATIK NÃO ESTÁ SOZINHA!
LIBERDADE A TODOS OS PRESOS POLÍTICOS DEMOCRATAS E REVOLUCIONÁRIOS DA ÍNDIA!
LIBERDADE PARA OS PRESOS POLÍTICOS DE HAMBURGO!