Mittwoch, 11. Juli 2018

Mensagem do Partido Comunista maoista da Itália para a celebração internacional do 200°Aniversario do natalicio de Karl Marx

Tradução da Mensagem do Partido Comunista maoista da Itália para a celebração internacional do 200°Aniversario do natalicio de Karl Marx. (revisão pendente). O original pode ser encontrado aqui.

“Proletários de todos os países, uni-vos!” Karl Marx
caros camaradas e amigos
sucesso para sua celebração!
Marx nos ensina
O objetivo dos comunistas é claro e preciso: a formação do proletariado em classe, a derrubada da dominação capitalista, a conquista do poder politica pelo proletariado.
A tarefa dos comunistas é traçada em forma eterna e indispensável pelo Manifesto, eles: “Lutam para alcançar os objetivos e interesses imediatos da classe trabalhadora, mas no momento presente eles representam ao mesmo tempo o futuro do movimento em si. Eles trabalham por despertar nos trabalhadores a consciência o mais claro possível, do antagonismo hostil que existe entre a burguesia e o proletariado, então que os trabalhadores possam se converter em armas diretas contra a burguesia contra a burguesia as condições sociais e politicas.”
“os comunistas em toda parte apoiam todo movimento revolucionário contra as condições sociais e politicas em todos esses movimentos enfatizando a questão da posse do capital como problema fundamental.”
“os comunistas – hoje mais que nunca nos ensina Marx e Engels – desdenha esconder as suas opiniões e intenções e abertamente declaram que seus objetivos podem ser alcançados através da violenta tomada de toda a ordem social existente… porque os proletários não têm nada a perder senão as correntes, têm um mundo a ganhar.”
Capitalismo, analisado por Marx, que se tornou imperialismo no desenvolvimento de Lenin, continua a seguir uma crise econômica profunda e a despeja nos proletários e povos do mundo.
Eles falam de “recuperação” mas a única coisa que resume é a corrida por lucros, riqueza e armamentos.
Para os proletários e as massas populares temos o desemprego, precariedade, exploração e escravidão, pobreza, roubo de material bruto e recursos energéticos, devastação do meio ambiente e territórios.
Contra essa situação, proletários e massas populares rebelam nos países imperialistas assim como nos países oprimidos pelo imperialismo.
para as rebeliões dos proletários e povos oprimidos, a burguesia imperialista e as classes dominantes escravizaram para eles nos países oprimidos pelo imperialismo, opõem repressão e massacres. Estados vão sempre através de mais reação e fascismo.
Proletários e povos resistem e desenvolvem suas lutas e guerras populares para afirmar a evolução como tendência principal.
A burguesia imperialista e os estados reacionários os escravizaram para intensificar as disputas imperialistas, lançam guerras comerciais e através de terceiros, revivem a tendencia para uma nova guerra de divisão.
Para a guerra imperialista só se pode opor a transformação da guerra imperialista em guerra civil revolucionária e o desenvolvimento em escala mundial de guerras populares.
Contra o caminho da revolução no seio do movimento operário e popular se opõe o caminho do reformismo, o caminho seguido por revisionistas e social democratas para reconciliar com governos e Estados imperialistas e para favorecer a realização de seus planos.
Em frente a crise do reformismo, social democracia e revisionismo, novas forças eleitorais populistas que usam demagogia reacionárias para dividir as massas e levá-las para a carruagem das classes dominantes são avançados no interesse da burguesia e dos Estados imperialistas. Populismo alimenta fascismo e neo-nazismo.
Comunistas e vanguardas proletárias trabalham para tornar a rebelião das massas em uma vitoriosa revolução, de Nova Democracia nos países oprimidos pelo imperialismo em marcha ao socialismo, e nas revoluções proletárias e socialistas nos países imperialistas em marcha ao comunismo. Os comunistas, baseados nas ideias de Marx, Lenin e Mao aplicadas à realidade concreta de cada país, constroem e desenvolvem novos partidos comunistas revolucionários genuínos, frentes únicas dirigidas pelo proletariado de todas as massas exploradas e oprimidas, forças de combate e exércitos revolucionários e populares.
Somente onde as massas têm esses instrumentos suas heroicas e generosas lutas podem vencer.
Em escala mundial, as guerras populares dirigidas por partidos maxistas-leninistas-maoistas são uma indicação estratégica decisiva e essencial.
A Guerra Popular na Índia, afetando diretamente um dos principais bastioes do imperialismo e da reação no mundo é um poderoso ponto de referência junto com as guerras populares nas Filipinas, Peru, Turquia. Hoje elas concretamente mostram o caminho de derrubar o sistema de exploração e opressão do imperialismo e todas as reacionárias forças reacionárias, para a construção de um novo poder e de uma nova sociedade.
Os comunistas marxistas leninistas maoistas devem se unir e fortalecer sua unidade, livrando as fileiras do movimento comunista internacional de tendências revisionistas e capitulacionistas, sem cair ao mesmo tempo na esterilidade do revolucionismo pequeno burguês, do dogmatismo.
A construção de partidos comunistas só é possível no fogo da luta de classes em conexão próxima com as massas, como função da autêntica luta revolucionária por poder.
No 200o aniversário do nascimento de Karl Marx declaramos com força
Marxismo-Leninismo-Maoismo é o Marxismo de nossa época! A base essencial para a unidade dos comunistas em todo o mundo.
“Proletários de todos os países, uni-vos!” a grande consigna indicada por Marx, é a bandeira vermelha do internacionalismo proletário, é a arma para a construção de uma nova Internacional Comunista.
Uma Conferência Internacional precisa para a construção de uma nova organização internacional marxista-leninista-maoista depois do colapso do Movimento Revolucionário Internacional. Todos os partidos e organizações marxistas-leninistas-maoistas devem ser convidados, um balanço e debate deve ser realizado, uma luta de duas linhas deve ser conduzida, uma nova unidade ganha.
O futuro do comunismo está em nossas mãos.
Partido Comunista maoista da Itália – junho de 2018